Poema ao Capitão



0 Comentários

Arte: Lara Albuquerque

tua liberdade
como arma apontada
nossa resistência
como força renovada
encontra horizontes

rasgaremos teus decretos
decrépitos
senhores e suas botas
lamentarão o dia que nascerá
do peito dos favelados
das putas
das travestis da Rua Augusta
enfrentarão arcos e flechas

não morreremos educadamente
já disse o índio-poeta

o latifúndio cobrará tua cabeça
estaremos aqui
mãos dadas
corpos dilacerados
mortos nos ombros
assistindo tua derrocada

homens da corporação da fé
Universais pouco cristãos
o farão demônio
queimarão teus órgãos
na fogueira da Santa Inquisição

o Ministério da Ralé
cobrará seu posto
e no sangue do nosso corpo
nascerá a libertação

///

Vanessa Dourado é escritora, bissexual e feminista latino-americana.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *