Insolação



0 Comentários

(Ilustração: Lara Albuquerque)

Adoro essa cidade!
E seu calor escaldante do meio-dia.
Adoro sua calma e seu silêncio
Que me impossibilita de ouvir Nação Zumbi
Em meu fone de ouvido.
Sirenes de socorro que
Abrem caminhos impossíveis.
O céu está azul apesar do inferno aparente.
A sede que conversa com a
Lembrança dos comerciais de cerveja.
A impaciência e seu barulho
Também está presente
Adoro essa cidade!
E sua paz nas horas de pico
Incitando-me uma loucura comum a todos
É muito grito é muito suor.
A poeira e a fumaça
Dançam juntas com os ventos do Atlântico
Adoro essa cidade
Com seu sorriso torto, banguela sempre estampado.
Brancos como as nuvens que não vejo
Amo essa cidade e sua possibilidade de não usar toalha.
Adoro sua luz que me cega sem óculos escuros
Para eu poder usá-los
Minha cidade não dá sono
Dá é sede
De cerveja, de água de coco, de saudade, de justiça.
Minha cidade é Fortaleza
Entrego minha origem ao pronunciar seu nome
O “e” tem a mesma força que o segundo “e” de beleza.
Adoro essa cidade e sua loucura própria
Que não entendo
Eu? Apenas me interno
E daqui espio o mundo.

///

Gleyfson Rodrigues – ou “poeta por acaso” – é licenciado em Letras (UFC) e docente em escolas públicas da Prefeitura Municipal de Fortaleza.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *