Repertório da pipa



0 Comentários

(Arte: Vitor Grilo/Revista Berro)

Os velhos comedores de passarinhos

Não conseguem assobiar sem cuspir os restos dos seus dentes.

Aguenta mais um pouco, só mais um pouco

Quando os pedaços dos ossos da boca começam a se soltar

É porque não conseguem mais mastigar os ossos

E os pássaros, livres das bocas

Hão de bico em bico

Assobios tão doces, quanto lúgubres.

Os passarinhos hão de cantar uma última vez

Quando o último velho desdentado

Morrer de fome, deitado em sua cama defecada,

Com uma suástica tatuada nas costas

Que mais parece uma cruz derretendo em sua bunda.

///

João Ernesto – jernesto@revistaberro.com


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *