um poema quando nasce esparrama pelo chão



0 Comentários

(Ilustração: Lara Albuquerque)

 

livros de poesia

amuletos panfletos etc

talhados um a um

 

pelo silêncio-princípio

inconformado

da sua própria capa

cidade

 

não almejam

servir-lhe

de portas abertas

 

menos ainda

de oráculos decertos:

a tua procura é quem

devora por onde

pisa.

///

Giulia Lorenzini Nogueira é artista de palavras, linhas e texturas. Do berço de poesia escrita entranhada nas artes plásticas, migra para produções literárias e fazeres artísticos diversificados. Foi criada no trânsito entre a metrópole e o litoral paulistas e é psicóloga em formação pela PUC-SP. Nas redes sociais, seus trabalhos são agrupados pelo nome de giubicidades = “coisas-de-giubi”.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *