“Amanhã quero ser vento”: Michel Yakini dá voz à periferia em seu primeiro romance



0 Comentários

Amanhã quero ser vento dá voz a personagens da periferia e traz temas como homofobia, aborto e violência contra mulheres (Foto: Sônia Bischain) 

Autor de livros de contos, crônicas e poemas, Michel Yakini – um dos nomes mais atuantes no movimento de literatura das periferias de São Paulo – lançou seu primeiro romance, Amanhã quero ser vento, que conta a história de Manandí, jovem mulher que deixa marido e filhas em uma pequena cidade e se muda para a metrópole em busca de si mesma. A protagonista enfrenta as durezas da vida na periferia e encontra amparo na amizade de uma recém-conhecida, Márcia, com quem acaba tendo um relacionamento amoroso.

O enredo é firmado em desencontros e desamores, em uma narrativa que dá voz a personagens da periferia e traz fragmentos de prosa poética do narrador. Texto arrojado e sensível de Yakini, que trata também de temas como machismo, homofobia, prostituição, aborto, drogas, violência contra as mulheres e as populações periféricas.

“Uma combinação explosiva de temas que atravessam muitas mulheres e são abordados aqui por um narrador transgênero sem demonstrar, em momento algum, a suspeita de um olhar masculino como pano de fundo”, registra a professora de Literatura Brasileira e Portuguesa na Universidade de Buenos Aires, Lucía Tennina, que prefacia a obra.

Capa Amanhã quero ser ventoNa construção narrativa do romance, o autor se vale de uma escrita muito próxima da oralidade e apresenta personagens cativantes como o botequineiro Sêobetolô, com suas observações perspicazes sobre as pessoas e a vida, a contadora de estórias Donanina, com seus “causos” que se avizinham da poesia, Wanda, a abortadeira, que faz programas sexuais para complementar a renda, entre outros.

O livro Amanhã quero ser vento está pode ser adquirido no site da 11 Editora (www.11editora.com.br).

O autor

Michel Yakini é escritor, artista-educador e produtor cultural. Colunista da revista on-line Palavra Comum (Galícia – Espanha) e cofundador do Sarau Elo da Corrente no bairro de Pirituba, que faz parte do movimento de literatura das periferias de São Paulo.

Desenvolve atividades relacionadas à cultura negra, periférica e criação literária, ministrando cursos, oficinas, palestras e recitais de poesia. Participou de atividades literárias em Cuba, Argentina, México, França, Alemanha, Espanha, Paraguai e Chile.
Autor de Desencontros (contos, 2007); Acorde um verso(poesia, 2012); Crônicas de um Peladeiro (crônicas, 2014) e co-organizador da antologia bilíngue on-line Letras e Becos – Literatura das periferias de São Paulo(2017).


One Reply to ““Amanhã quero ser vento”: Michel Yakini dá voz à periferia em seu primeiro romance”

  1. BestBrigitte disse:

    I see you don’t monetize revistaberro.com, don’t waste your traffic, you
    can earn extra cash every month with new monetization method.
    This is the best adsense alternative for any type of website (they approve all sites), for more
    info simply search in gooogle: murgrabia’s tools

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *