Dos nossos



0 Comentários

Por Melina A. Aragão Todo homem tem um destino capa preta, luz branca. Quando a água das veias se estanca fica o vácuo, o coração liberto Devassando os sonhos já

O Monte de Nada



0 Comentários

Por Rodrigo Lucena Observo pontos de incandescência manipulada Dependurados em troncos de concreto E acompanhados de gigantes de madeira Que, constantemente, sintetizam os nutrientes Que vão alimentar o Monte de

Lavra



0 Comentários

Por Melina A. Aragão Meu coração perdidamente apaixonado curva-se diante de sua amada palavra. Por que ela o contorce e brinca e faz ele pulular… A palavra é tijolo e cal.