um poema quando nasce esparrama pelo chão



0 Comentários

  livros de poesia amuletos panfletos etc talhados um a um   pelo silêncio-princípio inconformado da sua própria capa cidade   não almejam servir-lhe de portas abertas   menos ainda

Criação



0 Comentários

Ela olhou para a imensidão branca em volta dela. Então ela começou a correr. Ela nem sabia para onde estava indo, apenas que precisava se movimentar. Sem saber aonde ia

Supermercado



0 Comentários

  todo esse peso nas costas  de todos esses anos no tronco    falta ar para respirar  sufoco  umminuto     ah! o privilégio da cor!  o privilégio da  justiça! e

para ser uma artista



0 Comentários

– desconsidere tudo o que você já ouviu sobre artistas  – faça amizade com a tempestade e as outras coisas que ela traz  – escute o que o barulho do

Esperançosos



0 Comentários

  epígrafe: se entrou, deixa a esperança aí      … [gritado por várias pessoas] tenho tido várias mortes   acho que a primeira foi quando sacaram meu cordão  

By Serendipity



0 Comentários

  Como quando sabeis que não sei E eu sei sabendo que achais que eu Não sei   Como quando me enganais E eu sei que não sabeis que eu

A festa



0 Comentários

  Milho de pipoca sal óleo maria alguns minutos… pronto   “Crianças, … Pipoca! “Claro! Chame a garotada… Fale com maria “Não, não sou a melhor tia do mundo, anjinho”.

Barata



2 Comentários

Instruções: As partes em lacuna devem ser preenchidas, respectivamente, por um dos pares de expressão a seguir; 1. Pura ou     lúbrico     2. A vida ou         o prostíbulo

Transporte público



0 Comentários

Estou no transporte de carga humana. Desumana… Maltrapilha e maltratada. Sufocada… (…) Estou em direção à penitência diária Honorária … Honorário diário. Trabalho, trabalho, trabalho … Trabalhe caralho! -Desculpe o

Quintal da vó



0 Comentários

No oitão da casa O menino brinca com barro No topo do morro de terra ele é dono do mundo. Esconde-esconde, jôu atrepa. Menino no quintal a correr é pega-pega