Olha aí, o baculejo!



0 Comentários

“… que nada era inédito, estava tudo reverberando nas ondas do mundo, mundo, vasto mundo, desde sempre e para sempre do infinito?” (Cellina Muniz) Era um sábado. Não um sábado