Firulas



0 Comentários

Por Melina A. Aragão

Eu quero não querer saber
das coisas que não me cabem
Abrir as janelas do peito e não ver
os ares de azul que me lambem.
Eu quero não querer dançar
essa balada macabra
E ainda que nenhum som se faça
Mesmo que a boca se abra.
Tanta informação
É tanto sim, tanto pois e então
que dando firulas no pensamento
Não sei nem se mais uma vírgula
eu aguento.

Melina A. Aragão é feminista e boêmia


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *