Balaio Queer - (Des)ABAFO

(Des)ABAFO

Pablo Soares

O que aqui contarei
Pode não ser novidade
Mas peço compreensão,
Senão farei um alarde.
Dizem que sou viado
Bicha, balde e afeminado
Porque amo de verdade.

Desde muito pequenino
Comecei a compreender
Que como outros meninos
Eu nunca iria ser.
Jogar bola eu detestava
Boneca me fascinava,
Era esse meu viver.

Meu pai então furioso,
Minha mãe muito abalada,
Eu tentava explicar
Mas eles não me escutavam.
Eu ia dormir chorando
Toda noite ali pensando
Em parar com a boiolada.

Porém eu não entendia
De homossexualidade
E menos eu conhecia
A heteronormatividade.
Só queria ser feliz
Dançar e brincar de giz
C’as meninas da cidade.

Mas meu pai se revoltava
Com o meu jeito de ser
Um homem afeminado?
Não podia conceber
Eu juro que eu tentava
Até pipa eu empinava
Mas eu não tinha prazer.

Rejeição familiar
Pra mim era a pior
Pois isso me machucava
E me travava que só.
Pedia pra que Deus me levasse
Ou um “macho” me tornasse
Nesse mundo de dar dó.

Me escondendo tristonho
Comecei a frequentar
Uma igreja do bairro
Em busca de me “curar”.
Lia salmos e levítico
Até João, o apocalíptico,
Me fazia piorar.

O pastor sempre dizia
Que tudo era do “cão”.
Coisas que eu assistia:
Como Xuxa e Fofão
O Rouge também, coitado
Tinha pacto com o diabo
E veio a decepção.

Na escola do mesmo jeito
Opressão me perseguia.
Rua, Igreja e Família.
Só preconceito existia.
Daí tive que criar forças
Me espelhar em outras moças
Pra lutar no dia a dia.

Agressões eram tantas
De física a verbal
A sociedade é malvada
Com pau que gosta de pau.
E se for afeminado
Teu nome será viado
Em âmbito nacional.

Ana Carla e Orlando
Marquito, Ozi e Janine
São pessoas de coragem
Luta e Garra os define.
Me fizeram levantar
Me afirmar e amar
Sem ter quem me determine.

Sei que alguns ainda falam
Que isto é patologia
Ou mazela do demônio
Ou mesmo esquizofrenia
Mas se prestar atenção
Doente é a ação
Da homo-lesbo-trans-fobia

Conheci o feminismo
Que veio me libertar
Foucalt, Butler e Salete
Constituem o meu altar.
Agora eu sou mais feliz
Amo, gozo e peço bis
E o mundo é meu lugar.

Deixe uma resposta