samuel_brandão

Em um tubo de raios catódicos

(Foto: Reprodução/Facebook)

Em um tubo de raios catódicos passam elétrons travestidos de notas musicais em velocidade máxima e multicolorida. Um caleidoscópio é projetado numa parede fluida, donde se ouve algo que remete de Pink Floyd a Genival Santos. Uma sonoridade maldita, de rua, propositalmente nasce agarrada à placenta. O feto antecipou as unhas e foi parido atrepado ao que lhe dá alimento, sem medo de suas referências, a El Mah Sommah nos apetece. Música de quem já andou em alguma rua de Fortaleza madrugada adentro e não se assustou ao primeiro grito de polícia nem de ladrão.

Samuel Brandão é daqueles músicos inquietos, que procura a sonoridade das coisas inspirado por uma liberdade criativa que só os artistas que trilham o caminho mais difícil são capazes de desenvolver. Se engana quem pensa que os pés de Samuel estão cansados desse caminho espinhoso; pelo contrário, percorrer essa trilha dentro da cena fortalezense fez o músico aprender a dançar nesse campo cheio de arapucas e, da Manilha Mundial, já se escutava os ecos de suas guitarras e de suas composições cheias de humor e um certo sarcasmo perante a tão pacata cena cearense, inquietude sempre presente na obra do autor.

No lançamento dessa quarta edição da Revista Berro, a rua é a protagonista, com todos esses coadjuvantes que ajudarão sempre a construir suas arestas. Amigos como Daniel Medina colocam mais ingredientes no caldeirão do grupo, pra lembrar de não deixar a cidade se render ao capital, pra dizer que encrudescido é o estado das coisas. Mas, para isso, a arte é porrete mais potente que qualquer outra arma usada por polícia contra manifestante.

Para saber mais sobre a banda, aqui: El Mah Sommah e aqui: https://myspace.com/elelmahsommah.

 

capa_4a_ediçãoO QUE: Lançamento da 4ª edição da Revista Berro: Cidade para Quem?

QUANTO: GRATUITO (a revista também).

QUANDO: 02.07.2015 – quinta às 19:00 horas.

ONDE:  Mambembe, Comida e outras Artes (Rua dos Tabajaras, 368)

Deixe uma resposta