universo

Eu, universo

universo
(Ilustração: Universo Natural)

Daniel Sansil

Quantos universos
eu já vi por aí
quantos universos
quantas ondas variantes

Olho vagamente
é um livro de física
empoeirando a estante
por que eu guardo isso?

Insisto em olhar o livro
e reflito, suspiro
Quantos erros de cálculo
e me dou a rir

Enquanto o livro discute
se é aberto ou fechado;
se finda o universo;
eu já contei milhares

Desculpem-me os sábios
mas o meu universo é bem diferente
ou a mesma coisa
só que mais abrangente

Neste momento que me passa
prefiro seguir os poetas
e lembro de outro sábio
“cada um de nós é um universo”

Assim me rendo aos versos
e deixo de frescura
e tiro onda com as regras
e chamo o que quiser de universo

Bato no meu peito
chamo meu coração de galáxia
de planetas meus dedos
o vácuo é a praça

e por um segundo, o mar
aquele mar todinho
é só um fiozinho
do meu mar de cabelos

Sendo universo então
não é bom esquecer
que quando é grande a atração
é forte a colisão

mas eu nem tenho medo
isso eu deixo pros cometas
que são menores
coisa que cabe em telescópio

Me espalho no vácuo
explodo, mas também brilho
muitas vezes sofro
mas só me mantenho no que quero

Daniel Sansil é isso, aquilo, acaso

Deixe uma resposta