Sem culpa



7 Comentários

Maya brincava solta no meio da pista de dança improvisada no térreo do prédio de artes. Sua plenitude e leveza eram contagiantes e admirada por todos, desinibidos e acanhados sentiam-se